11 de julho de 2014

Maternidade de Patos tem menores taxas de mortalidade do Brasil

Enquanto a média nacional é de 15,7 para mil nascidos vivos, a maternidade Dr. Peregrino Filho apresenta um índice de 1,37

A taxa de mortalidade infantil no Brasil, conforme os dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2013, é de 19,60 para mil nascidos. A taxa de países desenvolvidos, a exemplo de Alemanha e Suiça é de 1,7 e 2,5, respectivamente, enquanto a taxa da Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos, é de apenas 1,37. Com uma média de 320 partos/mês, a unidade que integra a rede estadual de saúde é referência para cerca de 100 municípios paraibanos no atendimento de gestantes, inclusive com gravidez de alto risco.

Dados dos últimos doze meses, mostram que a maternidade teve uma melhoria significativa em termos de diagnóstico terapêutico, gestão de recursos humanos, de rotinas administrativas e, principalmente, de atendimentos e serviços neste período. De junho de 2013 a junho deste ano, foram realizados 3.940 partos na unidade, sendo 1.896 partos normais e 2.044 cirurgias cesáreas. O número de Nati-morto do período foi de 54. A UTI Neo da maternidade, uma das mais bem equipadas da rede estadual de saúde, atendeu nos últimos doze meses 173 recém-nascidos, enquanto que o serviço de Mãe-Cangurú da unidade recebeu e acolheu 166 bebês prematuros.

No final do ano passado, a maternidade fez uma pesquisa de opinião junto a pacientes e acompanhantes para medir o grau de satisfação com o atendimento oferecido na unidade. Das 314 entrevistadas, 184 pessoas – ou seja, 58% do grupo – consideraram o atendimento médico realizado como excelente e 37% consideraram bom. Contabilizando esses dois indicadores, chega-se a um patamar de 95% de satisfação com o atendimento médico recebido.

Os atendimentos de recepção, enfermagem e de acolhimento, também foram avaliados e obtiveram o título de “excelente” da maioria das entrevistadas. A Enfermagem obteve resposta excelente de 61% dos entrevistados e o índice bom de 34%. Como os indicadores ‘excelente’ e ‘bom’ atestam satisfação das pacientes, o atendimento de Enfermagem da maternidade alcançou um índice de aprovação de 95%. No item acolhimento, as respostas também foram bem positivas, tendo as pacientes classificando a forma como foram acolhidas com 60% de ‘excelente’ e 37% ‘bom’, perfazendo um índice de 97% de satisfação. A recepção obteve um índice de 59% de ‘excelente’ e 40% de ‘bom’, contabilizando nestes dois indicadores um grau de satisfação que atingiu 99%. As Instalações físicas e limpeza da maternidade também foram consideradas na pesquisa e receberam índices de mais de 90% de satisfação.

O diretor da maternidade, Dr. Paulo Athayde, reforça que os indicadores de melhoria refletem a realidade do dia a dia da unidade. “Temos o foco de melhorar, cada vez mais, os indicadores, os serviços e também o atendimento, cumprindo o nosso principal objetivo que é o de aperfeiçoar os serviços e humanizar, ainda mais, o atendimento salvaguardando, dentro das possibilidades que a medicina e os recursos técnicos disponibilizam, a saúde das pacientes e de seus bebês”, destaca ele.

Para Dr. Paulo os poucos registros de mortes de RN na maternidade de Patos frente ao número de partos realizados se encontram abaixo dos índices considerados normais, principalmente quando há atendimento de alta complexidade. “O ideal seria que não tivéssemos registro de óbitos, mas, há casos em que os recursos técnicos e a medicina não são suficientes para salvaguardar a vida do bebê, mas, felizmente, na nossa maternidade esses índices estão muito abaixo das taxas registradas em nível nacional e até em países do primeiro mundo, onde normalmente estes índices deveriam ser menores”, finaliza o diretor da Maternidade.

 

 

Voltar
© - Instituto Gerir